quarta-feira, 4 de abril de 2007

Homenagem do leitor Tulio a seu avô e o inesquecível Volkswagen.



2007. Momento final de um grande homem. Simples por natureza, sempre gostou das coisas modestas, amigos, netos.
Aliás, seus netos sempre foram sua grande paixão.
Algumas características marcantes remetem a seu nome. Marinas, caravelas, naus. O mar revolto. Se bem que só a menção do mar já monta a lembrança.
Por baixo de seus ávido bigodes, a cabeleira vasta e o bonezinho, ficavam um grande coração e uma habilidade única. O domínio do pulso, do pincel, da tela, das cores. Pintor inigualável, possui sua arte até onde nem se imagina. Através de seus dedos, as cores nasciam em tons azulados e rubros e surgiam viagens épicas, batalhas náuticas, portos esquecidos e planícies de águas marinhas nas calmarias depois do furacão. O sonho de uma vida aos mares, sempre separada pelo grande abismo do tempo e espaço.
Mas outras coisas sempre criaram nas mentes a imagem dele. Quem nao esquece as conversas soltas, o futebol apaixonado, as gambiarras. Ah, as gambiarras. ta aí o maior exemplo de criatividade possível. Tudo era transformável. Criava vida a partir do caos. Brinquedos a partir de lixo, soluções simples diante de problemas aparentemente insolucionáveis.
Pratica comum ao longo de sua vida.
E o fusquinha, que na visão dos netos, é um dos seus pontos mais marcantes. Aquele fusquinha verde, velho de guerra, que nunca deixou na mão, remendado, mexido, transformado. Exemplo de simpatia, bastava tocar no assunto do fusquinha, que todos já sabiam quem era. Forte, sempre teve um elo todo especial com esse homem.2007. O final de um grande homem. Nos deixou seu legado, pequeno, afinal nunca ligou para as coisas fisicas da vida. Mas deixa ensinamentos, criatividades, saudades. Deixa para trás um sonho, para que possam continuar depois dele. Saiu de nossas vidas rápido demais, mas a vida é assim.
Não espera.hoje, quando olhamos para a abóboda azulada sobre nossas cabeças, e vemos aquele grande pano azul ser invadido por formas brancas, acinzentadas, rubras, laranjas, lembro dos pincéis, da tela, do pano sujo, do bonézinho. Coisas simples. Mas que marcam.
De Cid Fernandes Galvão, meu avô só posso dizer isso...Vô..onde estiver continue sua arte.

**O verdão ainda tá na geladeira..a pouco resolveu fazer um gracinha e quase deixou eu e meu pai parados na Est. dos Bandeirantes... mas valente como é, fez um esforço e avançamos. Esse mês devo conseguir os paralamas novos..pretos, diga-se de passagem. mas pelo menos ele vai começar a ganhar cara nova.e a passos de formiga estamos ai.

3 comentários:

filhodearcadia disse...

Obrigado Fran, pelo carinho.
o blog como um todo está muito legal. meus parabéns.

Volkswagen disse...

Oi Tulio
Eu que agradeço o carinho..
Valeu

Rodolpho disse...

O Fusca foi idealizado como um carro para as massas, mas acabou ligando histórias e sendo protagonista de estórias!!! Sem dúvida, um carro fascinante.